Av. Bias Fortes, 247 - Lourdes - Belo Horizonte - MG Tel.: 31 3292.7172
Mau Hálito – Causas E Tratamento

Mau hálito: Conheça as causas e o tratamento

O mau hálito é comum pela manhã ao acordar, quando os dentes ainda não foram escovados, ou quando se passa muito tempo sem comer. Entretanto, quando o mau odor bucal se manifesta fora dessas situações, as causas devem ser investigadas para começar um tratamento adequado.

O mau hálito ou halitose é um cheiro desagradável persistente que não desaparece após a higienização bucal. As causas podem ser sistêmicas ou terem origem na boca.

Os dados da Associação Brasileira de Halitose (ABHA) revelam que aproximadamente 30% da população brasileira sofrem com esse problema, ou seja, 50 milhões de brasileiros.

Causas

A halitose tem cerca de 40 causas distintas, sendo muitas vezes atribuída a problemas estomacais, mas, segundo pesquisa, apenas cerca de 5% a 10% das ocorrências decorrem de causas sistêmicas, como diabetes, falha hepática, renal, prisão de ventre acentuada e até estresse. A maioria dos casos tem origem no ambiente bucal.

A boca é repleta de bactérias e a má higiene bucal causa o mau hálito. A comida presa entre os dentes e ao longo da linha da gengiva faz com que as bactérias, existentes naturalmente na boca, dissolvam as partículas de alimentos e, assim, liberem substâncias com forte odor, como o enxofre.

As situações como uso excessivo de certas medicações, tabagismo, drogas, bebidas alcoólicas e a utilização de soluções para bochecho com álcool na composição também são fatores que comprometem o hálito.

Confira dicas simples para auxiliar a combater o mau hálito com origem bucal:

  • Higiene bucal adequada: escovar os dentes regularmente e usar fio dental. É importante dar atenção especial à língua, pois uma grande quantidade de bactérias, células mortas e restos de comida ficam nela

 

  • Hidratação: a saliva ajuda na remoção de partículas e resíduos na boca e, como 90% da sua constituição é água, a hidratação tem um papel importante para estimular essa produção. Os especialistas indicam o consumo diário de dois litros de água para adultos

 

  • Evitar jejum: ficar longos períodos sem se alimentar faz com que o organismo ao identificar baixa concentração de glicose utilize os ácidos graxos para se manter em funcionamento. A “queima” dessa gordura gera a chamada halitose cetônica. Para evitar o inconveniente, a indicação é se alimentar adequadamente, isto é, a cada três horas

 

  • Alimentos para consumir: alguns alimentos promovem uma limpeza bucal, como a laranja, kiwi e maçã; cenoura e pepino nas versões cruas e com casca; adstringentes como o gengibre, iogurte natural e hortelã

 

  • Alimentos para evitar: comidas salgadas, quentes ou muito condimentadas tornam a boca seca e criam um ambiente propício para o mau hálito. Já, a ingestão de alho e cebola causa a liberação de compostos sulfeto provocadores do mau odor na respiração e no suor

 

  • Visite seu dentista: praticar boa higiene bucal é essencial para evitar e curar o mau hálito. Caso o mau odor ainda persista após essas práticas, visite seu dentista para verificar se a causa pode ser um problema mais sério, como gengivite, periodontite, mal posicionamento de prótese, cáries extensas e até problemas no canal.

A consulta com o profissional permite realizar exames para medir a quantidade e a qualidade da saliva, a quantidade de enxofre exalada na respiração e a checagem olfativa do hálito.

Tratamento

O tratamento do mau hálito varia de acordo com a causa e pode incluir a adoção de uma dieta balanceada e até a utilização de técnicas para regenerar a função das glândulas salivares, quando comprovada a origem bucal do problema.

Agende uma avaliação para você e sua família pelo (31) 3292-7172 | Whatsapp: (31) 994170017

Conheça as nossas redes sociais:

Instagram

Facebook

Veja mais:

Saúde bucal infantil é assunto sério

Facetas de porcelana tem contraindicação

4 Erros comuns que prejudicam os dentes