Av. Bias Fortes, 247 - Lourdes - Belo Horizonte - MG - PLANTÃO 24h - Tel.: 31 3292.7172
Dor De Dente 2

Dor de dente não é normal. É um sinal de alerta

Quem já sentiu dor de dente, sabe como o problema é um incômodo. Alguns já classificaram esse tipo de dor como a pior que existe. Geralmente, ocorre quando a dentina fica exposta ou atinge as terminações nervosas do dente. A intensidade do incômodo também varia conforme a extensão do dano e cada pessoa. Quando mais próxima do nervo, mais intensa será a dor.

A boca está cheia de bactérias que ajudam na digestão, mas podem ser perigosas para a saúde. Uma inflamação pode atingir o coração, pulmões e, até mesmo, o cérebro. O importante é ficar claro que, quando isso ocorre, é sinal que algo não vai bem com a saúde bucal. É imprescindível procurar um dentista para tratar os sintomas e a causa.  Mesmo que a dor pare depois de um tempo, é importante investigar para evitar uma possível complicação.

Por que o dente dói?

As causas são múltiplas. Pode ser decorrente de um dente quebrado, bruxismo, gengivite, cárie, que é a mais comum e, hipersensibilidade, entre outras. Entre crianças e adolescentes, é mais comum o problema ser causado pela cárie, já, em adultos, as doenças periodontais são um dos principais fatores para dor. É curioso algumas pessoas não observarem que os dentes não começam a doer de uma hora para outra. Normalmente, já vão aparecendo sintomas, como um pequeno incômodo, quando come algo duro, quente ou frio demais. Mesmo aparentemente pequenos, os sinais não devem ser ignorados.

Gravidez influencia?

Durante a gravidez, a mulher está sob efeito de hormônios que podem facilitar o desenvolvimento da gengivite. As dores podem ser moderadas a fortes. A melhor alternativa é procurar um profissional para indicar os remédios permitidos para dor e até fazer algum tratamento, caso seja necessário. Evite a automedicação, pois nem todos os remédios são permitidos para gestantes.

Como prevenir a dor de dente?

A melhor forma de prevenção é manter uma higienização adequada da boca com escovação três vezes ao dia, ou após cada refeição.  O uso do fio dental é indispensável e você ainda pode reforçar com um bom enxaguante bucal sem álcool. As visitas periódicas ao dentista, a cada seis meses, também ajudam na prevenção, pois vários problemas são silenciosos.

Há, ainda, a predisposição para o desenvolvimento de certas doenças, como cárie e doenças periodontais, valendo lembrar que, mesmo as pessoas com boa higiene acabam tendo reincidência.

Medidas caseiras podem ajudar?

Prevenir é a maneira mais segura e barata de evitar problemas e  o agravamento da situação. Às vezes, a pessoa não consegue ir ao dentista imediatamente e pode, sim, lançar mão de algumas medidas, como compressas com água gelada e até colocar gelo no local da dor. O reforço da higienização é fundamental. O bochecho com água morna e sal é eficiente para lavar uma possível infecção e garante conforto, amenizando o trauma. Entretanto, assim que tiver oportunidade, deve-se procurar um dentista para um diagnóstico e tratamento adequado.

 

Chamar no WhatsApp
Precisa de ajuda?
Powered by