Av. Bias Fortes, 247 - Lourdes - Belo Horizonte - MG - PLANTÃO 24h - Tel.: 31 3292.7172
Bias Fortes – Doenças Bucais

Como prevenir as doenças bucais mais comuns?

O cuidado com a saúde bucal é extremamente importante para a manutenção de uma vida de qualidade. Ninguém duvida. Entretanto, tem muitas pessoas que ainda não estabeleceram hábitos higiênicos e visitas frequentes a um dentista. Quais são as principais doenças bucais e como prevenir elas? Listamos algumas das patologias mais comuns para seu conhecimento e prevenção.

 

PLACA BACTERIANA

A placa bacteriana é responsável pela formação de uma membrana viscosa e sem cor ao redor dos dentes, gengiva e língua. O problema é decorrente do acúmulo de bactérias e restos de alimentos.  A má escovação é um dos indicativos que possibilitam o surgimento da doença. A placa bacteriana é considerada a porta de entrada para outras patologias, como cárie e infecções, quando não tratada. É muito importante a pessoa criar hábitos higiênicos para evitar essa situação.

AFTA

As aftas são pequenas erupções na mucosa bucal decorrentes de um descontrole do sistema imunológico. O corpo entende que essas lesões são bactérias e atacam, aumentando o problema no local. As aftas também podem ser desencadeadas por altos níveis de estresse, ingestão de alimentos ácidos, distúrbios gastrointestinais e consumo de cigarros. O problema pode ser evitado com a correta escovação dos dentes para diminuir o atrito com a área, por exemplo.

CANDIDÍASE ORAL

A candidíase oral é a conhecida doença do sapinho, acometendo o interior da boca de uma pessoa, causada por diversos fatores, como má higiene bucal, contato com pessoas com lesões na boca e alimentação inadequada. O tratamento é feito com medicação antifúngica.  A prevenção requer uma higiene bucal adequada e visita regular ao dentista.

Agende já sua visita pelo telefone 3292-7172 e garanta maior qualidade de vida.

 

Leia mais:

Saúde bucal x Problemas no coração

Alimentos que mancham os dentes

Saúde bucal: 5 erros que você já cometeu

Nem todo mundo tem cáries